Ciclic

Você precisa mesmo de carro? 5 dicas para uma decisão racional

Descubra se ter um carro está prejudicando seu orçamento

Comprar um carro é o segundo maior sonho dos brasileiros, atrás apenas de viajar, segundo um estudo do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Mas todo o conforto e comodidade dos automóveis vêm acompanhados de altos custos que podem prejudicar as finanças da família.

Seguro, impostos, combustível, limpeza, revisão, manutenção, estacionamento, multas de trânsito e o próprio preço do veículo: tudo isso, quando somado, sai bem caro. Quando a pessoa tem o hábito de trocar de carro constantemente, a conta fica ainda maior.

Sempre que o assunto é carro, o importante é manter os pés no chão e ser racional. A seguir,  confira cinco dicas do economista, contador e consultor financeiro Luiz Miola, da Compor Assessoria, para você não entrar no vermelho por causa do automóvel.

Pergunte-se: posso mesmo comprar um carro?

Veículos não são, por si só, causadores de endividamento. O problema só acontece quando a vida financeira da pessoa não comporta um veículo e os custos que vêm com ele.

Portanto, antes de tudo, faça as contas de todas as despesas que um carro dá e veja se esse valor cabe mesmo em sua renda. Talvez, olhando os números, você descubra que será necessário esperar para ter seu veículo ou então que só pode ter um em vez de dois ou três. Confira aqui treze dicas para economizar em casa

Muito cuidado com financiamento

A realidade mais comum entre os brasileiros é adquirir um veículo financiado, mas esse é o pior tipo de consumo que pode existir. Nesse caso, o veículo pode custar duas ou até três vezes o seu valor original, por causa dos altos juros cobrados.

Uma regra boa para se utilizar é: se não puder comprar à vista, dê a maior entrada possível – assim será menor a taxa de juros e maior a possibilidade de se conseguir algum desconto. O mais indicado é poupar até ter, pelo menos, metade do valor do carro para só depois ir à compra.

Considere todas as despesas

Ao escolher um modelo de carro, saiba o valor do seguro, do IPVA, do licenciamento e o consumo médio de combustível. Estes são fatores que, somados, compõem as despesas. Fique atento a isso e planeje-se antes de comprar um carro

Se precisar vender, não demore

Quando a pessoa entra em dívidas constantes e o veículo é um dos fatores que agrava a situação do orçamento doméstico, é uma boa hora de se colocar na balança os custos e os benefícios de se ter um veículo ou se utilizar de outros tipos de transporte.

Se for necessário abrir mão do carro para se livrar da dívida, não espere o tempo passar. Não deixe de ver também seis hábitos que podem ser revistos para economizar.

Novo ou usado?

Não há um tipo melhor, e sim aquele que supre melhor suas necessidades em determinado momento. Inúmeros pontos devem ser analisados antes de comprar um carro.

Carros novos tendem a ter baixo custo de manutenção, mas, por outro lado, têm enorme desvalorização assim que saem da concessionária, principalmente no primeiro ano de uso (cerca de 20%). Já um carro seminovo pode ter mais manutenção, mas sua desvalorização é menor.

Qual a sua experiência na hora de comprar um carro?

Compartilhe conosco nos comentários e não deixe de conhecer a Ciclic!
>> Simulação de Previdência privada para investir no carro dos sonhos <<

Deixe seu melhor e-mail para receber nossos conteúdos