Previdência privada? 5 mitos que todo mundo acredita!

Por Marketing Ciclic0

Desconfie do que dizem! O plano é perfeito para qualquer um que deseja realizar um sonho a curto, médio ou longo prazo

Investir para garantir o futuro. É assim a forma como investir na previdência privada deveria ser lembrada pelos investidores. No entanto, muitos mitos atrelaram uma má reputação  a esse investimento que, na verdade, é um ótimo negócio.

Na previdência privada, você aplica o seu dinheiro em um fundo de investimento estável e imediatamente ele começa a render. A expectativa é que, ao final do ano, o rendimento chegue a um valor mais elevado do que a tradicional caderneta de poupança.

O seu dinheiro pode ser usado para tirar vários sonhos do papel, e não apenas garantir uma aposentadoria sem a dependência da previdência social no futuro. Você pode viajar, pagar os estudos, dar entrada em uma casa e realizar praticamente qualquer plano de médio ou longo prazo.

Percebeu como esse investimento é vantajoso?

Mitos e verdades: está pronto para descobrir?

Saiba quais são os mitos sobre como investir na previdência privada e comece a se planejar para começar a sua. Em apenas alguns anos você irá desfrutar de benefícios!

#1 Mito: Fazer uma previdência privada com o gerente do banco é uma boa ideia

Um investimento feito com intermédio de um banco dificilmente vale a pena – e isso vale para qualquer tipo de investimento!

Por meio desse intermediário, os investimentos têm taxas abusivas, o que reduz consideravelmente o retorno sobre a sua aplicação.

 

Devido a desinformação, muitos brasileiros fecham negócio com o banco e se arrependem depois, dando origem a uma reputação ruim da previdência no mundo dos investidores.

A melhor opção é dar preferência a plataformas financeiras digitais, que são descomplicadas e oferecem planos mais interessantes.

Mesmo assim, procure se informar sobre os planos e condições oferecidas para encontrar aquele mais adequado para você.

dicas de como investir na previdência privada

#2 Mito: Só há um tipo de plano de previdência

Existem dois diferentes tipos de plano de previdência privada: o PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) e o VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres). Você precisa escolher muito bem, pois não é possível mudar de ideia depois de começar a investir.

O PGBL é recomendado para quem faz o modelo completo de declaração de Imposto de Renda, pois os aportes podem ser isentos da renda bruta tributável em até 12%. Para o resgate, o valor de base para tributação será sobre o total existente no fundo de previdência PGBL.

Já o VGBL é indicado para quem é isento da declaração ou declara o modelo simplificado do imposto de renda. Embora a base de cálculo não seja reduzida, quando você fizer o resgate, o imposto de renda incidirá apenas sobre os rendimentos e não nos valores das aplicações.

Veja mais detalhes: PGBL X VGBL: qual a diferença entre os planos de previdência?

#3 Mito: Os fundos de previdência privadas não podem ser retirados a qualquer momento

É claro que podem, afinal, o dinheiro é do investidor! No entanto, é preciso se atentar às condições de retirada antes do período acordado em contrato.

Dependendo do contrato, se a retirada for feita antes da data estipulada, você estará quebrando uma cláusula contratual e se sujeitando ao pagamento de uma multa que, em muitos casos, é muito alta.

De forma geral, o período mínimo estipulado é muito mais longo quando se fecha um plano de previdência com instituições bancárias. Na Ciclic, por exemplo, é possível fazer o resgate a partir de seis meses de plano ativo.

Não deixe de ver: Posso usar a previdência para outros investimentos?

#4 Mito: É preciso ter muito dinheiro para começar a investir

Existem muitos formatos de planos de previdência privada no mercado, inclusive aqueles que iniciam a partir de valores acessíveis para qualquer pessoa com contribuições de, por exemplo, menos de R$ 10 ao mês.

É claro que, investindo um valor reduzido, ao final de dez anos, por exemplo, você terá um valor acumulado muito menos do que se tivesse investido um pouco mais. Portanto, controle a expectativa!

O ideal é que você pense em sua necessidade futura e realize uma simulação. Dessa forma, você poderá saber qual será o rendimento investindo determinado valor por mês, ou então o quanto precisa investir mensalmente para desfrutar da retirada dos seus sonhos no futuro.

#5 Mito: Pessoas muito jovens ou muito velhas não devem fazer um plano de previdência

Esse é um dos principais mitos sobre os planos de previdência privada. Qualquer pessoa pode e deve fazer o seu para aproveitar um futuro melhor em termos de condições financeiras.

Quem ainda é muito jovem, por volta de 20 anos, e está começando a trabalhar agora, precisa considerar reformas na previdência social, instabilidades do mercado e o piso salarial da categoria para que daqui a 30 ou 40 anos viva com mais conforto.

como investir na previdência privada

Já quem tem em torno de 45 anos deve pensar que faltam ao menos 15 anos para a aposentadoria. Com o aumento da expectativa de vida e a demora na recuperação do mercado, um plano de previdência é essencial para desfrutar de uma aposentadoria tranquila.

Além disso, vale lembrar que a previdência não serve apenas para fins de aposentadoria. Ela pode ajudar você a realizar um sonho, não importa sua idade!

Agora que você já sabe como investir na previdência privada e como evitar as ciladas desse tipo de investimento, é hora de iniciar o seu plano e ficar cada vez mais perto de um futuro repleto de realizações.

Faça sua simulação de previdência!

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

veja também outros posts de Investimentos

Rentabilidade negativa: não tenha mais medo dela!
Investimentos / 13 de agosto de 2018
Rentabilidade negativa: não tenha mais medo dela!
Entenda as oscilações dos investimentos e saiba como agir para tirar o máximo proveito de sua previdência privada Você, que já é cliente da...
Renda fixa: o que é a rentabilidade financeira com oscilação de ganhos?
Investimentos / 16 de julho de 2018
Renda fixa: o que é a rentabilidade financeira com oscilação de ganhos?
Vale conhecer um pouco melhor como funciona o mercado e como seu investimento vai evoluir Se você pesquisou, se programou e finalmente conseguiu investir...
Aplicação financeira: o que é a taxa de carregamento e como ela funciona?
Investimentos / 12 de julho de 2018
Aplicação financeira: o que é a taxa de carregamento e como ela funciona?
Essa taxa incide sobre as aplicações da previdência privada e, com um bom plano, pode ser de 0% Abrir um plano de previdência privada...

Veja algumas idéias do que você pode conquistar