Blog Ciclic: Dicas e informações sobre seguros e serviços

Assistência pet: benefícios que a Ciclic oferece

Um pet é sinônimo de alegria para a casa. Entretanto, ele demanda alguns cuidados, como agendar uma consulta veterinária com frequência para verificar e acompanhar sua saúde.

Quer saber mais sobre isso e como a gente pode te ajudar? Continue a leitura deste conteúdo!

As consultas veterinárias devem ser realizadas com frequência, para uma pet assistência de qualidade. | Foto: Freepik.
As consultas veterinárias devem ser realizadas com frequência. | Foto: Freepik.

Quando levar meu pet ao veterinário?

De acordo com a fase da vida do pet, a frequência de ida ao veterinário muda:

Filhotes

Os pets filhotes precisam de um acompanhamento regular no veterinário. É preciso que a visita seja periódica (pelo menos de 3 em 3 meses) para que sejam feitos alguns procedimentos, como a castração, e para detectar rapidamente qualquer problema de saúde.

Durante os quatro primeiros meses de vida do cão ou gato, o tutor deve levá-lo para tomar todas as vacinas necessárias.

Adultos

A fase adulta é considerada mais tranquila em relação às visitas ao veterinário. De forma geral, deve-se levar o pet caso ele apresente alguma alteração de comportamento ou algum problema de saúde.

Além disso, existem duas situações que fazem com que o animal deva ser levado ao veterinário anualmente: vacinas e vermífugos.

Idosos

Os pets idosos estão propensos a desenvolver mais doenças e outros problemas hormonais, como hipotireoidismo. Por causa disso, é de suma importância que o tutor visite o veterinário pelo menos de 6 em 6 meses. 

Essa visita regular pode prevenir essas doenças e, caso elas estejam acontecendo, serão detectadas em fase inicial e o tratamento poderá ser melhor desenvolvido. 

Situações em que o tutor deve estar em alerta

Os pets emitem alguns sinais que podem ser um aviso de que eles não estão totalmente bem e, por isso, precisam urgentemente de uma consulta veterinária. Conheça quais são:

Tristeza

Os animais de estimação costumam ser alegres e brincalhões. Se você perceber que o seu está mais triste e sem vontade de passear ou brincar, pode ser sinal de alguma doença emocional, como a depressão, ou algum sintoma de uma doença física.

Latidos ou miados em excesso

Os cachorros e gatos emitem sons para demonstrar suas emoções. Mas mesmo que latidos e miados sejam normais, é crucial que o tutor verifique e esteja sempre observando se eles não estão sendo em excesso. 

Se essa excessividade for confirmada, o pet pode estar sentindo alguma dor ou reclamando de algo. Também é importante ficar de olho em outros sons, como uivos frequentes.

Mudança na alimentação

Comer pouco ou muito é uma característica inerente do pet e que deve ser acompanhada de perto pelo tutor. Se o seu cão ou gato estiver comendo muito mais ou bem menos do que o costume, pode ser sinal de que está acontecendo algo com sua saúde. 

É bom também ficar de olho na hidratação do pet, verificando se ele está bebendo a quantidade adequada de água.

Mau hálito

Existem algumas raças específicas de cachorros que se a boca não for higienizada regularmente, podem desenvolver mau hálito. Para resolver essa situação, recomenda-se dar um osso para ele roer, pois isso fará uma espécie de escovação. 

Se esse ato não resolver ou se o seu pet aparecer com mau hálito sendo que ele não costuma ter, é necessário visitar o veterinário para descobrir o que pode estar acontecendo com ele. 

Vômito ou diarreia

Muitas vezes, o pet apresenta um quadro de diarreia ou de vômito devido a algo que comeu. É importante que o tutor acompanhe se isso não está se repetindo e, se a resposta for afirmativa, vale observar a cor e a consistência do material expelido. 

E se esses vômitos e/ou diarreias estiverem acontecendo com frequência, é crucial que o tutor leve o pet para o veterinário para que o profissional possa dar um diagnóstico.

Problemas na pele

Existem algumas raças de cães e gatos que estão propensas a desenvolver alguns problemas de pele – geralmente, são as que têm muitas dobras em seu corpo. Para eles, a higienização desses lugares é muito importante para garantir que eles não desenvolvam algum problema grave. 

Agora, se o seu pet não for dessas raças, mas está desenvolvendo problemas como alergias, manchas, machucados e coceiras, o veterinário deve ser consultado urgentemente.

Problemas respiratórios

Os pets também podem desenvolver algumas doenças respiratórias. Existem algumas raças que já possuem alguns problemas naturalmente, principalmente aqueles de focinhos achatados.

Se esse for o caso, siga os cuidados indicados pelo veterinário. Mas se esse não for o caso, a visita a um profissional deve ser imediata, pois o pet pode estar gripado ou com pneumonia.

Dificuldade para andar

Pets que não querem ou não conseguem caminhar e só ficam deitados dormindo podem estar apresentando sinais de algo errado em sua saúde mental ou física. Por isso, o tutor precisa estar de olho nesses sinais para que a ida ao veterinário aconteça.

Pet estressado ou agressivo

A agressividade e o estresse podem ser características inerentes à personalidade do pet. O tutor deve observar se o grau desses traços não estão elevados, caso o cão ou gato já tenha o comportamento estressado, ou se ele está apresentando essas características, caso ele seja dócil. Se o resultado for positivo, é importante fazer uma consulta veterinária urgentemente.

Por fim, falamos tanto de saúde e consultas e ainda não contamos como podemos ajudar com isso. O nosso Saúde Pet é a assistência à saúde exclusiva para cães e gatos com planos completos que incluem: consultas, exames, cirurgia, internação e muito mais.

Quer conhecer melhor todas as coberturas? Acesse o site do Saúde Pet Ciclic!