Ciclic

Perdi o emprego: Como economizar e fazer o Seguro Desemprego durar mais

O momento é difícil e parece que agora as contas não vão fechar mais? Então não deixe de conferir as dicas que vão te livrar de entrar no vermelho e, até,  mostrar as possibilidades de investimento

Segundo o IBGE a taxa de desemprego no Brasil caiu para 12,3% nos últimos 3 meses. Contudo, ainda existem 12,9 milhões de profissionais que estão em busca de uma nova colocação no mercado.

O benefício do seguro desemprego sofreu um reajuste. Em 2018, o benefício ganhou aumento de 2,07%. Ou seja, o valor máximo da parcela é de R$ 1.6777,74. Um acréscimo de R$ 34,02, se comparado com o ano de 2017.

Isso acontece para que você tenha tempo de se recolocar profissionalmente e ter as suas principais contas pagas. Afinal, quem está com tranquilidade monetária consegue pensar e planejar melhor, certo?

E é exatamente sobre isso que vamos falar aqui. Perder o emprego acontece. Infelizmente. Algumas vezes é até um trampolim para que você possa pensar outras coisas, agir de forma diferente e até pensar em mudar de profissão, quem sabe empreender.

Mas, enquanto isso não acontece, você precisa viver com o dinheiro ofertado pelo Seguro Desemprego. Pensando em como te ajudar nesse processo, preparamos algumas dicas que vão te auxiliar a administrar melhor o dinheiro, durante o período de desemprego, e quem sabe até investir. Pode ser um bom começo para isso.

Faça seu Seguro desemprego durar mais com essas 4 dicas

1.Organize suas finanças. Nada melhor do que uma planilha – tire um tempo na sua nova rotina e organize seus gastos em uma planilha, inclusive as contas que você ainda precisa pagar (como a fatura do cartão de crédito). Veja o dinheiro que possui e quais são seus custos fixos ao mês.

Anote tudo, para que você saiba qual é o total do seu custo e o valor mínimo que deve ter a cada mês para não entrar no vermelho. A partir disso, você pode calcular uma estimativa de valor para que consiga pagar as contas e viver bem, ao menos enquanto estiver em busca de outra colocação profissional.

2.Corte gastos – vale a pena rever com o que você está gastando seu dinheiro, muitas vezes algumas compras são desnecessárias e podem ser cortadas ou substituídas. Você pode optar por produtos mais baratos no mercado, por exemplo.

O bom é que quando você conseguir uma outra colocação profissional, vai estar craque em economia monetária e, quem sabe, fará seu novo salário render bem mais que o antigo.

3.Evite o cartão de crédito – prefira comprar em dinheiro ou no débito para que não prolongue gastos para o futuro. Com esse planejamento vai ser mais simples controlar suas finanças e não entrar em uma bola de neve de dívidas. Veja mais – 5 erros comuns no uso do cartão de crédito.

De acordo com a Confederação Nacional de Comércio de Bens, Serviço e Turismo (CNC), o cartão de crédito corresponde a 76,8% de endividamento no Brasil, e neste momento de desemprego é melhor focar no planejamento de gastos do que em adquirir novos gastos fixos.

4.Divida os gastos para aproveitar ao máximo o seu seguro desemprego – é muito importante planejar, principalmente quando você sabe que o seguro Desemprego vai ser por tempo determinado. Divida-o  por categorias, como alimentação, lazer e saúde. Depois, estipule um valor máximo para cada um e siga com rigor.

O próximo passo é analisar se aquele bem ou serviço é viável para ser consumido, ou seja, se o preço e qualidade estão bons e cabem no seu bolso sem que você extrapole o orçamento estipulado.

Veja também – Mude sua vida financeira aprendendo a fazer economia pessoal!

Um novo emprego à vista

O mês de agosto fechou com 110.431 novas vagas no mercado formal, com um crescimento de 0,29% em relação ao mês passado. Isso é resultado de 1.353.422 admissões e de 1.242.991 desligamentos, ou seja, o estoque de empregos aumentou para 38.436.882 vínculos empregatícios.

O saldo de janeiro a agosto teve um acréscimo de 568.551 vagas e crescimento de 1,50%. Só no último ano, o aumento chegou a 356.852 posto com variação de 0,94%. A informação é de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

seguro desemprego

Já pensou em investir para ter mais segurança?

Sim! Além de ser uma saída para evitar o endividamento, é uma ótima opção. Não quer dizer que a partir de agora você deve separar uma grande quantia por mês, colocar no banco e esperar eternamente até render algo.

Nada disso, você pode investir com pequenos valores (deixando de pedir mais uma vez aquela pizza da quarta passada, por exemplo) e pensando no que for melhor para o momento que está vivendo.

Gostou da ideia? Então confira as vantagens de investir na Ciclic!

A previdência privada é a melhor opção e você precisa dela

Agora que você possui dicas para fazer o seu seguro desemprego render mais, que tal dar uma chance para a previdência?

A previdência privada é uma das melhores estratégias de investimentos a longo prazo que te ajuda a garantir uma renda futura para você e sua família, sendo que esse dinheiro pode até complementar a sua aposentadoria.

Na Ciclic, por exemplo, além de a taxa de carregamento ser zerada você pode investir com quantias menores e programar uma vida mais segura financeiramente.  Além disso, perder o emprego é um acontecimento comum. Logo, se você tiver uma previdência privada, sentirá mais segurança nos momentos em que a grana vai estar mais curta.

Compartilha com a gente a sua opinião? Você já perdeu o emprego e mudou de vida? Foi um trampolim para uma vida mais feliz? 🙂

Deixe seu melhor e-mail para receber nossos conteúdos