Ciclic
renda-vitalicia-casal

Renda Vitalícia. Sua aposentadoria em segurança

Como estar mais seguro com a aposentadoria privada?

Imagine você receber dinheiro mensalmente para o resto da sua vida sem depender do Governo Federal. E se isso for possível a partir de aplicações financeiras baixas?

A Renda Vitalícia é uma forma de pagamento feita enquanto o segurado sobreviver. Funciona de forma muito parecida com a Previdência Social só que com mais vantagens, como os tipos de renda que você vai receber na hora do resgate. Conheça a aposentadoria privada!

Levando em conta que estamos falando dos planos para o futuro, vamos considerar em um breve tópico como está a atual situação do país, dos aposentados, da previdência social.

A atualidade dos aposentados

Praticamente todo mundo – e não apenas os poetas – afirmam que dinheiro não é tudo na vida. E, sinceramente, temos que concordar. É possível listar uma série de “coisas” que o dinheiro não compra.

Mas, se for possível viver as fases da vida sabendo que você tem um dinheiro guardado para “sobreviver” aos momentos de desespero financeiro ou as necessidades que acontecem, como doenças e a perda do emprego, isso seria muito mais confortável, concorda?

Achou um pouco confuso? Vamos tentar deixar tudo mais fácil:

Quando você terminar sua vida profissional, como quer estar? Sua primeira opção é ficar com a aposentadoria social, do governo. Mas, se você está acompanhando a política brasileira, sabe que há um momento de incertezas quanto a isso, o que é preocupante.

É aí que surge a aposentadoria privada, que são ótimas maneiras de complementar esse dinheiro e não precisar mudar a qualidade de vida. A ideia não é, necessariamente, ter uma vida de luxo e sim uma vida confortável.

Nos dias atuais, basta olhar as filas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para ver que as situações são, no mínimo, nada confortáveis.

Mas sabe qual é a boa notícia que podemos tirar disso tudo? Fazer sua própria aposentadoria é possível e muito mais fácil do que você imagina. Você já imaginou juntar dinheiro, pouco dinheiro, todos os meses para conseguir uma Renda Vitalícia no futuro? É disso que vamos falar, confira as opções!


Tipos de renda da previdência privada

Atualmente existem 6 tipos de renda na previdência privada e elas serão acertadas conforme o contrato assinado entre a instituição e o segurado. A contratação, a saída do plano, mudança de plano, valores… tudo isso tem que estar no contrato. Confira os tipos disponíveis no mercado.

 

1 – Renda mensal vitalícia

Como comentamos no início do artigo, esse tipo de renda é feito por um pagamento exclusivo ao participante enquanto ele sobreviver. Esse dinheiro é proveniente da conversão da reserva financeira e o benefício termina quando o usuário falece.

Neste caso, não existe a possibilidade de devolução do capital acumulado durante os anos. 

 

2 – Renda mensal temporária

Como o nome diz é um pagamento temporário, também feito com exclusividade ao segurado durante um período pré-determinado.

Assim, os valores param de ser pagos quando o segurado falece ou quando o prazo combinado termina, prevalecendo qual acontecer primeiro. Não há indenização nem compensação.

 

3 – Renda mensal vitalícia com prazo mínimo garantido

Esse pagamento tem um prazo mínimo a contar da data do início do benefício.

Obviamente, nesse caso, se o participante morre durante o recebimento do benefício, então, o valor restante da renda será pago aos beneficiários – se for mais de 1, então, o valor será entregue conforme o contrato.

Atenção, a renda termina se o beneficiário falecer após o término do prazo mínimo.

 

4 – Renda mensal vitalícia reversível ao beneficiário

Nesse caso, mesmo após a morte do participante do plano, o beneficiário continua recebendo o valor, baseando-se na porcentagem definida no plano.

Se o beneficiário morrer antes ou “ao mesmo tempo” que o participante, então, o plano é extinto, sem que haja possibilidade de compensação ou devolução dos valores pagos.

 

5 – Renda mensal vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores

O participante recebe a renda vitalícia até a data escolhida. Após isso, se ainda tiver direito ao benefício, os valores são pagos aos cônjuges ou companheiros.

Se o cônjuge também falecer, o valor, neste caso, pode ser transferido aos filhos, herdeiros, mas apenas os que são menores de idade. Após completarem a fase adulta (18 anos), a renda é extinta.

 

6 – Renda mensal por prazo certo

O participante preestabelece uma renda que vai receber todos os meses, sendo que o pagamento é limitado ao número de meses previsto no regulamento do plano. 

Se ele falecer durante esse período, a renda é destinada aos beneficiários indicados. A renda termina após o prazo de pagamento definido no contrato.

Resgates programados ou resgates totais: informação importante! 

Também é importante levar em conta que existem instituições que oferecem esses dois tipos de resgates: programados ou totais.

O resgate total, como o nome diz, é feito em um pagamento único – esse modelo é muito usado por pessoas que querem abrir o próprio negócio ou investir em outras opções mais arrojadas, como o mercado de ações. 

Já o resgate programado tem a ver com a retirada periódica do dinheiro, que pode ser semestral ou anual, por exemplo. Essa opção é muito recomendada para quem tem facilidade de gerir os próprios recursos financeiros. 

 

Compreenda as fases das previdências privadas – Acúmulo e renda

No tópico acima falamos sobre os tipos de renda das previdências, mas é preciso se orientar que essa é uma fase final de quem investe dinheiro nessa opção financeira.  

Brevemente, vamos falar da parte inicial, que é a parte de acumular dinheiro, juntar dinheiro.

Nessa fase, o investidor precisa aplicar dinheiro na instituição. Isso é feito mensalmente e com valores pré-determinados. Além disso, também é possível escolher o período que será feito, que pode ser de 10 anos até 40 anos, por exemplo, na média.

Mas calma lá, temos que explicar como funciona a aposentadoria privada.

Você, ao final do prazo, na hora do resgate, vai ter muito mais dinheiro do que o que foi “depositado” durante as parcelas mensais. Isso acontece porque o mercado financeiro como um todo trabalha com o que é chamado de juros compostos. 

A ideia é fazer o dinheiro trabalhar para você, já ouviu falar disso, não é? Então, se você investiu 200 reais esse mês, saiba que mês que vem terá um pouco mais do que isso… Imagine agora esse mesmo pensamento no longo prazo!

 

Curiosidade: previdência privada para crianças

Você pode contratar planos previdenciários privados para seus filhos, por exemplo, desde o nascimento deles. A ideia é criar uma poupança de longo prazo, onde o valor poderá ser usado a qualquer momento, conforme o plano.

>> Aproveite para fazer uma simulação de previdência complementar para seus filhos! <<

Você pode pensar também no que falamos em todo artigo, na renda vitalícia. Isso seria “fazer” um futuro muito mais confortável do que o da previdência social.

A estrutura, nesse caso, permite o resgate dos recursos a qualquer tempo, desde que cumprida a carência inicial, que é de, no máximo, de 2 anos.

Deixe seu melhor e-mail para receber nossos conteúdos