Ciclic

Reformar e pintar a casa sai caro: você está preparado financeiramente?

Para não ser pego de surpresa, é fundamental fazer uma reserva. 

Não importa se você paga aluguel ou tem casa própria: os imóveis sempre precisam de algum tipo de manutenção e reparo. Algumas situações são previsíveis, como a necessidade de pintar as paredes de tempos em tempos. Mas, outras – como vidro trincado, cano furado, telhas quebradas – podem te pegar de surpresa.

O fato é que sempre haverá o que consertar em casa – ou, talvez, nem haja tanta necessidade assim, mas você decide que quer muito fazer uma reforma completa para receber a família no final do ano, por exemplo.

Independente do seu caso, a única certeza é que a conta sairá mais alta do que você imagina. A  coach e educadora financeira Cristiane Maeda dá 6 dicas sobre o assunto.

Leia também: Aluguel ou casa própria, como escolher a forma de morar mais adequada para você

  1. Identifique como estão suas finanças hoje

Sem entender qual é sua atual situação financeira, não dá nem para começar a sonhar com uma reforma. Portanto, encare os números: como estão as contas da família? Há dívidas?

Você consegue economizar um pouco do que ganha todo mês ou gasta mais do que recebe de salário? Para o seu plano dar certo, nada de fazer contas mentais. O negócio é colocar tudo no papel ou em uma planilha. E lembre-se: nunca gaste mais do que você ganha.

  1. Anote todos os gastos e descubra onde economizar

Se você já pesquisou o preço de material de construção e mão de obra, deve saber que nenhuma obra sai barata. Portanto, aja racionalmente. Antes de começar qualquer reforma, crie o hábito de economizar.

Anote tudo: as despesas fixas (aluguel, condomínio, água, luz, telefone etc.) e as variáveis (passeios, viagens, medicamentos).

Observe seus gastos mensais e pergunte-se onde você pode cortar custos. É muito comum que ao fazer esse exercício você identifique “ralos de dinheiro” e comece a prestar mais atenção neles para evitar que seu dinheiro desapareça.  

Leia agora: 10 Hábitos que realmente funcionam para guardar dinheiro!

  1. Comece a montar uma reserva

A partir da redução de gastos, você vai notar que sobrará dinheiro em sua conta. Hora de iniciar a reforma? Ainda não!

Primeiro, cuide de criar uma reserva financeira de emergência – afinal, ninguém sabe o que pode acontecer no amanhã, certo? E nada de mexer nela sem real necessidade.

Lembre-se que esse é um dinheiro para emergências apenas! O ideal é que você consiga uma reserva que seja equivalente para cobrir seis meses de suas despesas.

  1. Comece a planejar a reforma

Suas contas estão em dia? Não há dívidas para pagar? Montou uma reserva financeira para emergências? Então, agora sim você está realmente pronto para encarar a esperada reforma da casa.

Comece pesquisando preços de materiais e mão de obra para ter ideia de quanto sairá. Busque por promoções, peça descontos e vá comprando aos poucos tudo o que será necessário para não ter um gasto enorme de uma só vez e desequilibrar o orçamento.

Leia também:  Ano sabático na prática: uma história real de planejamento e sonho realizado

  1. Tenha mais dinheiro do que você acha que irá precisar

Quando se trata de reforma, o orçamento costuma sempre sair do previsto – isso é normal em qualquer obra. A dica é não encarar o quebra-quebra se o seu dinheiro estiver muito “contadinho”.

Tenha uma quantia a mais disponível para qualquer coisa que surgir inesperadamente em sua reforma. Uma previdência privada pode ser uma boa opção para esse caixa de emergência. 

 

  1. Não faça dívidas

O grande problema de renovar a casa é não ter paciência de esperar o melhor momento. Isso pode causar um rombo em sua vida financeira.

Por mais empolgado que você esteja, nunca saia passando o cartão de crédito sem pensar na fatura que chegará. E pior: nada de pagar apenas o mínimo da fatura – quando você faz isso, entra em uma dívida com os maiores juros do mundo, que será muito difícil de pagar.

Leia também: 5 hábitos financeiros que te impedem de economizar

  1. Mantenha a distância emocional

Todo mundo quer ver a própria casa linda, renovada e bem cuidada – e isso é ótimo. Mas, para que isso não te cause problemas financeiros é preciso muita cautela e racionalidade.

É claro que você estará muito empolgado e envolvido no assunto, mas tente sempre manter uma distância emocional da situação. Só assim será possível ponderar o que é realmente necessário, o que é supérfluo e o que pode esperar mais um pouco. Você não precisa fazer tudo e uma vez só. Vá com calma, planeje-se e veja seu sonho realizado.

E aí, gostou das nossas dicas? Apreoveite para reformar a casa e depois conta pra gente como ficou.

Deixe seu melhor e-mail para receber nossos conteúdos