Ciclic

Orçamento familiar: você sabe controlar o seu?

Confira algumas dicas para que você possa manter o controle das finanças da casa e não se aperte no final do mês

Quanto a sua família gasta todos os meses, você saberia dizer? Se para responder a essa pergunta você vai recorrer a uma planilha na qual você anota todos os seus gastos, parabéns: você está no caminho certo. Porém, se você ficou em dúvida de como conseguir essa resposta, fique atento às dicas que traremos nesse artigo.

Ter uma noção clara de quanto é que você tem disponível para gastar todos os meses é o primeiro passo para você fazer um bom planejamento financeiro. Por orçamento, entendemos a previsão de quanto será gasto com cada item ao longo de um determinado período.

Assim, se você está gastando mais do que você ganha, é sinal de que alguma coisa está errada e você precisa corrigir o rumo. Além disso, é preciso lembrar também que você deve pensar em poupar, seja para ter uma vida mais tranquila no futuro ou para realizar aqueles sonhos maiores.

É justamente por essas razões que o orçamento familiar deve se tornar uma peça chave na sua rotina. Anotar todas as despesas e analisar para onde está indo o dinheiro recebido é fundamental para que você possa poupar cada vez mais e começar a pensar em opções de investimento.

Por onde começar?

Já mencionamos sobre a importância de anotar todas as suas despesas para que você possa ter um controle total sobre tudo aquilo que você gasta. Agora que você já faz isso, é hora de agrupá-las em despesas fixas e variáveis. Aqui cabe uma explicação para que não haja confusão.

Despesas fixas são aquelas que você tem todos os meses, como aluguel, telefone, água ou luz. Mesmo que o valor varie, o que conta é o fato de que a cada 30 dias tem um novo boleto vencendo. Já as despesas variáveis são aquelas que nem todos os meses serão necessárias. Por exemplo, gastos com roupas e com manutenção do carro. Confira 13 dicas para fechar o mês com dinheiro

Siga a regra do 50-15-35

Você já ouviu falar na regra do 50-15-35? Trata-se de um pensamento bastante difundido entre os especialistas em finanças e que indica como você deve distribuir a sua renda ao longo do mês.

Metade do valor que você ganha (50%) deve ser destinado às despesas essenciais (as fixas entram aqui). Outros 15% devem ser reservados para investimentos e os 35% restantes podem ser gastos com as suas atividades de lazer. Por que é importante observar percentuais e não valores absolutos?

Porque caso você ganhe menos em um mês ainda assim você poderá ter atividades de lazer ou fazer os seus investimentos, embora com um orçamento menor. O importante é que você mantenha o pensamento de que é preciso poupar todos os meses.

Converse com os seus familiares

Quando falamos em orçamento familiar é preciso ainda observar outro fator: a participação dos membros da sua família. Por mais que você esteja comprometido em cumprir as metas propostas, pode ser que as coisas não saiam como o esperado se as outras partes não colaborarem.

Por isso, converse francamente com a sua esposa ou com o seu marido e envolva os filhos nesse diálogo. É um mito achar que elas devem ficar alheias à “vida de adulto”. Pelo contrário, essa pode ser uma oportunidade para que você estimule nelas desde cedo as boas maneiras no que diz respeito a poupar.

Faça planejamentos de curto, médio e longo prazos

Agora que você já tem um diagnóstico completo sobre todas as suas despesas, já dá para pensar em como fazer o planejamento dos seus gastos para os meses seguintes. Se você possui dívidas, deve ter como prioridade quitar todas elas antes de qualquer outro gasto eventual.

Depois de colocar a casa em ordem, você pode começar a pensar em planos para o futuro. Uma viagem para o exterior, um carro novo ou mesmo uma casa na praia são desejos que podem muito bem ser atingidos se você estabelecer metas e começar a trabalhar para alcançá-las. E é aí que entre em cena a boa escolha das opções de investimento. Veja 05 hábitos que te impedem de economizar.

Escolher o investimento certo conta muito

Poupar é o ato mais importante de todos para que você possa conseguir alcançar as suas metas. Porém, escolher a melhor forma de investimento é a maneira mais garantida de fazer com que você caminhe mais rápido na direção certa. E nesse caso, a melhor opção nem sempre é aquela que todo mundo defende.

Pode ser que no seu orçamento familiar seja mais interessante investir em previdência privada, por exemplo, enquanto para o seu vizinho outro tipo investimento pode ser mais adequado.

Paciência e persistência

Não desanime e mantenha o foco. No começo as coisas podem parecer um pouco mais difíceis, mas tudo é uma questão de hábito. Depois de dois ou três meses, com tudo organizado, você deve começar a perceber os primeiros resultados e isso será muito estimulante para seguir em frente.

Você verá que muito do que gasta é supérfluo e pode ser cortado sem que a sua qualidade de vida seja prejudicada. E, o mais importante: você se sentirá mais tranquilo por saber que está preparando o seu futuro. Que tal começar a seguir essas dicas hoje mesmo?

 

Faça sua simulação agora!

Deixe seu melhor e-mail para receber nossos conteúdos