Dia 10 de março, o dia do telefone

Já imaginou com seria a sua vida sem seu celular? Pois é, mas se você perguntar para os seus avós ou seus pais, eles terão boas histórias para te contar. Nem sempre as pessoas contavam com a facilidade e tecnologia que nós temos hoje ao possuir um smartphone, aparelho que junto ao telefone passou por diversas modificações. E tudo começou com ele, o telefone, no dia em que Alexander Graham registrou a patente do primeiro aparelho.

Quer saber mais sobre essa história? Fique por aqui.

Como tudo começou

Quando é falado sobre a criação do telefone, três nomes surgem: Alexander Graham Bell, Elisha Gray e Antonio Meucci, mas quem de fato foi o primeiro a criar o aparelho?

A história conta que em 1860 Antonio Meucci, criou o “Telégrafo Falante” o que o possibilitou a conversar com sua esposa doente que estava em outro cômodo da casa, porém, por falta de dinheiro, Antonio não teve condições financeiras de dar continuidade ao trabalho e vendeu o protótipo para Graham.

Graham e Gray vinham trabalhando em melhorias para o aparelho e no dia 14 de fevereiro de 1876, Graham conseguiu se comunicar com seu assistente Watson que estava em outra sala. O aparelho funcionava por bateria e só uma pessoa podia falar por vez, e foi então que no dia 7 de março ele patenteou o telefone, algumas horas antes de Gray dar entrada no Escritório de Patentes nos EUA com a mesma ideia.

A data que entrou para a história foi o dia 10 de março, o dia em que foi realizada a primeira transmissão elétrica de mensagem completa, ficando conhecida até hoje como o dia do telefone.

Antonio Meucci chegou a processar Graham, mas acabou falecendo durante o processo, assim encerrando o caso. Em 2002, o Congresso dos EUA reconheceu que em 1860 o primeiro aparelho foi criado por Antonio Meucci.  Graham ficou responsável por realizar a primeira transmissão de voz, ao invés da criação do aparelho.

A evolução do telefone

Em 1904, a empresa Western Eletric lançou um telefone onde para entrar em contato com outra pessoa, era necessário contatar a central, informar a telefonista com quem desejava falar, e ela realizava a ligação, assim as duas pessoas conseguiam se comunicar pelo aparelho.

Com o passar dos anos e os avanços da tecnologia, não era mais necessário a ajuda da telefonista para completar a ligação, era possível realizar pelo próprio aparelho.

Nos anos 70 o modelo sem fio com botões caíram na graça da população, dando mais liberdade para a pessoa dentro de casa, bastava carregar o telefone na base ligada à energia.

Com o telefone sem fio, já era de esperar o famoso celular, não é? Nos anos 90 muitas empresas começaram a criar os aparelhos móveis ligados a satélites, o que foi uma febre, porque as pessoas podiam levar os celulares para qualquer lugar.

Depois, os smartphones chegaram facilitando cada vez mais o dia a dia das pessoas e diminuindo a necessidade do telefone fixo dentro de casa.

O telefone fixo chegou ao fim?

Muito dinheiro foi investido em banda larga e fibra ótica pelas empresas de comunicação, então o telefone fixo ainda terá muito tempo de vida, principalmente em escritórios.

E aí, já imaginou como seria a sua vida sem o seu smartphone?

Com a Ciclic você não precisa nem imaginar, aqui você conta com um Seguro Celular que protege o seu aparelho contra roubo, furto qualificado e danos por líquidos. Quer saber mais? Acesse o link