Como sair das dívidas: Tudo o que você precisa saber!

Por Marketing Ciclic0

Entenda como pagar as contas que estão em atraso – e como nunca mais entrar nessa situação

O ideal é nunca ficar no vermelho. Mas se você está endividado, não há outra saída a não ser encarar o problema de frente e buscar uma solução. Quanto mais demorar, pior. Antes de tudo, saiba que, independentemente de sua atual situação, sempre é tempo de adotar novas posturas com relação ao dinheiro e começar uma fase livre das dívidas.

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, 60,8% das famílias estavam endividadas no país em 2017. O número tão elevado revela como essa realidade está presente na maioria dos lares brasileiros. A seguir, confira as dicas da Renata Genari (organizesuasfinancas.com.br), organizadora e planejadora financeira pessoal, para resolver suas pendências e nunca mais cair em dívidas.

1. Não espere piorar e encare o problema

Ninguém gosta de ficar endividado – e menos ainda de encarar os números das dívidas. Isso é chato, dolorido e trabalhoso, mas é necessário. Muitas pessoas esperam chegar em níveis críticos para tomar alguma atitude. Se esse é o seu caso, mude sua postura o quanto antes.

O primeiro passo é descobrir o tamanho das contas a pagar. Sem essa informação, não é possível seguir adiante. Faça um levantamento e liste as pendências: boletos, carnês, financiamentos, cartões de crédito, cheque especial ou empréstimos, por exemplo.

2. Conheça seus gastos e corte custos

Depois de descobrir o tamanho da dívida, é hora de entender quais são seus gastos fixos e quanto eles pesam em seu bolso. Faça uma planilha com todos os custos mensais (aluguel, condomínio, supermercado, etc) e veja quanto de sua receita é destinada a esses itens.

Analise também suas despesas com lazer, passeios, viagens, celular, TV a cabo, internet, presentes e outros gastos que podem ser cortados ou diminuídos. Muitas vezes, ao encarar os números, você se dá conta de que gastava muito mais do que imaginava e percebe que é possível poupar com um pouco de esforço e disciplina.

A família inteira precisará estar empenhada em economizar para poder resolver o problema maior: se livrar das contas em atraso. O objetivo é fazer sobrar dinheiro ao final do mês. E livre-se dos hábitos que te impedem de economizar.

3. Negocie

Cada caso é único, então, sabendo o quanto sobra de sua renda todo mês, você consegue visualizar quanto pode pagar das dívidas, seja de uma vez ou mensalmente. Com essa informação, é possível negociar os valores devidos.

A negociação com os bancos pode ser feita online (por meio de mecanismos de internet banking) ou por telefone (pelo canal de atendimento ao cliente), além, é claro, de comparecer à agência para fazer uma proposta pessoalmente.

Durante a negociação, entenda qual será o desconto concedido sobre a dívida total. Geralmente, há bons descontos quando o pagamento é feito à vista. Se for parcelar, pergunte sobre os juros e lembre-se de que o valor deve caber em sua renda mensal, para que você possa pagar de forma tranquila e não deixar de viver. 

4. Defina prioridades

As dívidas com maiores juros mensais (como as do cartão de crédito e as do cheque especial) devem ser pagas primeiro. Muitas vezes, nesses casos, é válido até recorrer a um empréstimo com juros mais baixos para se livrar desses juros abusivos, que estão entre os mais altos do mundo. Mas, lembre-se: para fazer esse tipo de escolha é válido contar com a orientação de um profissional que entenda bem sobre finanças.

5. Busque ajuda

Cada caso é um caso e, por isso, a ajuda de um especialista da área costuma ser fundamental nessas horas. Um consultor de finanças pessoais pode ser muito útil para ajudá-lo a definir as prioridades e criar um plano de ação de mão dupla: tanto para diminuir os gastos como para conseguir quitar as dívidas da melhor maneira possível. E a melhor maneira, é buscar uma plataforma de investimento para te auxiliar nessa jornada.

 

Faça uma simulação de Previdência complementar com a plataforma de investimentos Ciclic

 

6. Obtenha uma renda extra

Reflita sobre formas alternativas de aumentar a renda familiar. Desde vender doces até dar aulas de um idioma ou instrumento musical. Tudo o que você gosta e sabe fazer pode ser fonte de um dinheiro extra, que irá contribuir para que a família saia do vermelho.

7. Seja consciente

Não viva sempre no limite de seu salário nem tenha um padrão de vida maior do que pode sustentar. Faça as contas, coloque metas e não gaste mais do que ganha por mês. Ter essa consciência é fundamental para conseguir pagar as dívidas já contraídas e não entrar em novas no futuro. Repense e saiba controlar gastos, poupe um pouquinho por mês para ter uma reserva financeira e para realizar seus objetivos no longo prazo.  

E aí, vai encarar as dívidas? Deixe seu comentário e compartilhe sua opinião com a gente!

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

veja também outros posts de Finanças pessoais

Vai investir dinheiro pela primeira vez? Confira os primeiros passos!
Finanças pessoais / 1 de novembro de 2018
Vai investir dinheiro pela primeira vez? Confira os primeiros passos!
Sobrou uma grana para investir. Ótimo, parabéns! Só que… você nunca investiu e não faz ideia de como funciona o universo dos investimentos. “Preciso...
Não tenha mais dúvida sobre como fazer para sobrar dinheiro no fim do mês!
Finanças pessoais / 1 de novembro de 2018
Não tenha mais dúvida sobre como fazer para sobrar dinheiro no fim do mês!
Seria sensacional se todos conseguissem sobrar dinheiro no fim do mês. Isso não é fácil, sabemos disso! Encarar essa missão é um desafio para...
Como juntar dinheiro? R$ 200 ao mês por 10 anos = R$ 24 mil para gastar!
Finanças pessoais / 29 de outubro de 2018
Como juntar dinheiro? R$ 200 ao mês por 10 anos = R$ 24 mil para gastar!
Você consegue guardar duas notas de cem reais mensalmente pelos próximos 120 meses? Imagina se tivesse começado a fazer isso em 2008… Quem era...

Veja algumas idéias do que você pode conquistar